DIDAN NOTZAH!!!

5 de Tevet 1986

Esta data corresponde à vitória obtida em 5747 (1987) diante do tribunal federal dos Estados Unidos, estabelecendo que a coleção de livros e de manuscritos que pertencem aos mestres da Chassidut era propriedade exclusiva da união dos Chassidim Chabad. Esta vitória tornou-se, desta maneira, um fato estabelecido aos olhos de todas as nações.

  • 5 Tévet 5747-1986

Vitoria do processo jurídico para devolver os Livros sagrados e manuscritos da Chassidut Chabad Lubavitch  para a Biblioteca Lubavitch de interesse geral.

Infelizmente, muitos livros inéditos de grande valor, manuscritos e documentos de Chassidut Chabad, de interesse geral, foram indevidamente desviados de sua vocação e pararam nas mãos de alguns indivíduos privilegiados, conhecedores ou colecionadores particulares.

A associação dos Hassidim Habad fez um processo, no dia 19 de Kislev 5746, 1985, e pediram ao juiz Charles Sifton, para arbitrar o litígio, para obter a restituição e devolução dos livros coletados e recolhidos pelos mestres da Hassidut, para que possam pertencer a TODOS, ou seja à biblioteca Chabad Lubavitch e não somente a alguns privilegiados...

O processo jurídico durou três semanas.

Em seguida, as pastas das partes, contendo vários documentos, tiveram de ser examinados. Esta segunda fase terminou em 10 Shevat 5746-1986.

Foi a 5 de Tévet 5747-1987 que o juiz deu a conhecer a sentença final, cuja declaração constava de quarenta páginas.

O juiz aceitou o argumento da associação dos Chassidim Chabad, de que a vida do Rabi Rayats era integralmente dedicada para o bem e às necessidades de todos, para a comunidade inteira. Sem exceção.

Em seu veredicto, o juiz atesta o caráter público da biblioteca, que pertence à associação mundial de Chabad Chassidim.

O acusado foi obrigado a devolver imediatamente os livros e objetos que ainda estavam em sua posse e que ele não tinha o direito de possuir.

A conclusão do veredicto foi a seguinte:

"Depois de ouvir os depoimentos, depois de analisar os inúmeros documentos e provas fornecidos por ambas as partes, cheguei à conclusão de que a biblioteca não era propriedade pessoal do Rav Yosef Yitzchak Schneersohn, quando ele deixou este mundo. Consequentemente, as exigências da outra parte são nulas e sem efeito. Todos concordam que o culpado não pode justificar o seu direito à biblioteca senão por herança. A associação dos Hassidim Habad tem, portanto, o direito de exigir a restituição do que lhe pertence."

A notícia da vitória se espalhou muito rapidamente, no mundo inteiro. Foi um grito comum de alegria enorme e sem descrição.

Os chassidim de todos os lugares se alegraram e comemoraram o evento.

Muitos foram às ruas e dançaram vivamente. As principais celebrações ocorreram no 770 Eastern Parkway na sede mundial dos Hassidim Habad em Brooklyn, Nova York. Lá, milhares de Chassidim se reuniram e celebraram a grande vitória.

A alegria explodiu quando o Rebe disse a oração da tarde, Mincha,  na grande sinagoga do 770. Minha foi realizado com um ar festivo. Então o Rebe disse algumas palavras para a ocasião.

Ele disse em particular: "Assim como o Admour Hazaken quando foi preso e depois solto, o Rebe sabia como deduzir um ensinamento de cada evento que ocorreu.

Uma de suas conclusões foi a necessidade de espalhar as fontes da Chassidut fora, no exterior,  até os lugares mais afastados (do judaísmo) que poderia ter no mundo, com força ainda maior. Consequentemente, o ensino eterno a respeito do evento presente é bastante claro. Alegou-se que a associação de "Hasidim Chabad" era uma organização fictícia. Disto deve-se deduzir a necessidade de fortalecer a divulgação dos ensinamentos do Rebe, estudá-los de forma privada e pública, com grande felicidade e entusiasmo, com uma alegria que ultrapassa e quebra todos os limites”.

A alegria continuou também nos dias seguintes. Por uma semana, cada dia, o Rebe falou algumas palavras sobre esse evento.  A este respeito, falamos dos sete dias de festa que se seguiram à vitória.

A data de 5 Tévet tornou-se um dia de festa, um dia de vitória, celebrando o triunfo da luz sobre as trevas.

DIDAN NOTZAH!!!